Imaruí

Região de Transferência Estado Santa Catarina, Brasil

Factsheet do estudo de caso das Imaruí disponivel em PDF.

Índice
Descrição da Região de Transferência
Atividades econômicas
Problemas ambientalis e dos recursos naturalis

Descrição da Região de Transferência ACIMA
Imaruí está localizada no centro-sul de Estado de Santa Catarina, na região sul do Brasil. Ela está a 109 quilômetros de Florianópolis, a capital do estado, e 45 quilômetros de Santa Rosa de Lima (Figura 1), região de estudo o caso do Projeto Civi.net no Estado de Santa Catarina.

imarui_1

O município foi fundado em 1800 por comunidades açorianas provenientes da Laguna e outros municípios no sul de Santa Catarina e norte do Rio Grande do Sul. A região foi encontrada por ser muito adequada para o estabelecimento dessas comunidades devido aos vários recursos naturais, incluindo florestas e lagoas de água salgada.

Na verdade Imaruí tem cerca de 54 mil hectares, com 11.672 habitantes. O município está enfrentando um declínio da população desde 1992, quando haviam 15 mil habitantes. A maioria da população vive em áreas rurais (65%). A vulnerabilidade à pobreza é alta atingindo 33% da população, embora a pobreza extrema atinge apenas 6% da população. As condições de trabalho estão por trás da maioria dos municípios do litoral do estado. 56% da população acima de 18 años não concluíram o ensino fundamental e estão trabalhando sob regras “informais” (PNUD, 2010).

Imaruí é conhecida por seus recursos naturais. Ela tem a maior lagoa salgada de Santa Catarina e 15% de seu território pertence ao Parque Estadual do Tabuleiro (figura 1).

imarui_2
Figura 1: Localização do estudo de caso e região transferência no Estado de Santa Catarina, sul do Brasil.

Atividades econômicas ACIMA
As principais atividades econômicas são a pesca e a agricultura. Na pesca de camarão e caranguejos estão os principais produtos extraídos e destinados à Florianópolis e para outros estados. Aquicultura também é muito importante e é desenvolvida principalmente para a produção de camarão. Imaruí tem mais de 8.000 pescadores artesanais registrados e é considerada uma das regiões de produção de camarão mais importantes do Brasil.

Arroz, mandioca e cana-de-açúcar são os principais produtos agrícolas. O arroz é plantado nas terras baixas perto das lagoas. Há uma grande utilização de pesticidas que contribuem para o aumento da poluição dos recursos hídricos. Na última década houve um aumento significativo da produção de frango e uma pequena diminuição na quantidade de gado, especialmente para a produção de carne. Gado para produção de leite está crescendo e teve um aumento de 400% entre 2003 e 2007. (IBGE, 2013).
As atividades turísticas estão florescendo nos últimos anos, principalmente o ecoturismo. Caminhadas por trilhas naturais, canoagem, parapente e outros estão lentamente se tornando uma nova fonte de renda para a população local.

imarui_3 imarui_4
Figura 2: Igreja na comunidade Aratingaúba, Imaruí, SC. Figura 3: Produção de Aquicultura, Imaruí, SC.
imarui_5 imarui_6
Figura 4: Rio D’Una, Imaruí, SC. Figura 5: Lagoa de Imaruí, Imaruí, SC. (Imagem Roberto Nascimento)

Problemas ambientalis e dos recursos naturalis ACIMA
Imaruí enfrenta muitos problemas ambientalis o desmatamento da floresta nativa para a expansão da agricultura (principalmente pastagem, eucalipto, cana-de-açúcar e plantação de arroz) é o principal problema para as zonas de montanha. Pastagem degradada, a falta de matas ciliares e caça ilegal estão ameaçando os remanescentes de Mata Atlântica no município, incluindo áreas no interior do Parque Estadual do Tabuleiro.

A lagoa enfrenta diferentes interesses e não há zoneamento ou planos de gestão para regular todas as atividades desenvolvidas. A pesca em pequena escala e em grande escala gera conflitos entre os pescadores, e ambos têm conflitos com as explorações aquícolas. As atividades agrícolas, especialmente arroz, usam grandes quantidades de pesticidas que compromete as pescarias e as explorações aquícolas. Comunidades urbanas e pequenas despejam esgotos na lagoa, sem qualquer tratamento prévio comprometem a qualidade da água.

Fóruns locais estão tentando discutir sobre os diferentes interesses em relação ao uso dos recursos naturais, más até agora não há regulamentação estabelecida. Atualmente Imaruí tem um centro de visitação do Parque Estadual do Tabuleiro. O Centro foi implantado na região há 5 anos atrás com o objetivo principal de educar as pessoas para a importância do Parque e para dar apoio à policia ambiental para parar atividades ilegais nos limites do Parque.