Partes interessadas

Em Marujá a equipe CiVi.net trabalha em conjunto com várias partes interessadas e parceiros locais em Marujá e no parque estadual da Ilha do Cardoso

Iniciativa Verde  
Projeto: Apoiando o planejamento a adaptação à mudança climática na costa Sul do Estado de São Paulo

 

Sumário

A ONG brasileira Iniciativa Verde iniciou o projeto ” Apoiando o planejamento a adaptação à mudança climática na costa Sul do Estado de São Paulo” e convidou cientistas e especialistas para atualizar e trocar informações espaciais ambientais e dados sobre a região do Lagamar, que inclui o parque estadual da ilha do Cardoso. A Iniciativa Verde também convidou a equipe de CiVi.net que trabalha no estudo de caso da Comunidade do Marujá para contribuir para o portal de banco de dados de GIS ou “GIS-Blog” da Iniciativa Verde e adicionar informações sobre o estudo de caso. Isso inclui, por exemplo, informações sobre avaliação de serviços do ecossistema e organização comunitária. Os pesquisadores do CiVi.net usarão os mapas da Iniciativa Verde e fotos aéreas do Parque Estadual Ilha do Cardoso para sua análise do desmatamento.

 

Texto completo

Este projeto nasceu das preocupações e uma chamada à ação de uma ONG brasileira chamada Iniciativa Verde. A missão da Iniciativa Verde é apoiar a restauração de mata ciliar, através de projetos de compensação de emissões de gases de efeito de estufa. Uma das ferramentas frequentemente usadas para encontrar paisagens rurais prioritárias para a restauração é um modelo espacial do potencial de seqüestro de carbono de uma determinada área de cobertura de terra (mapa de biomassa potencial).

O mapa originalmente desenvolvido com foco em 80% de Mata Atlantica bioma (hotspot para conservação da biodiversidade) que é desmatada também revelou uma grande área florestal, com uma densidade elevada de biomassa, que ainda tem mais de 90% de sua cobertura florestal.Devido à mudança climática, altimetria muito baixa e proximidade da costa, esta floresta intocada está em risco. Fatores relacionados ao aumento do nível do mar, tais como inundações, erosão costeira, e também o deslocamento de comunidades locais e actividades económicas representam sérias ameaças para a existência do remanescente desta floresta bem conservada. Portanto, sem planejamento e intervenção, um cenário previsível da degradação ambiental e aumento da pobreza vai se materializar; um cenário em que um forte ciclo de reforço negativo entre o progressivo enfraquecimento da economia local e deterioração dos serviços dos ecossistemas pode ser observado.

Através do processo participativo de planejamento a adaptação à mudança climática, este projeto Iniciativa Verde tem como objetivo apoiar as comunidades a enfrentar riscos e desafios colocados pelos impactos das mudanças climáticas e a se tornarem mais resistentes. O Litoral Sul de São Paulo é uma região de estuário bem conservada, com baixa densidade demográfica, pequenas populações urbanas e rurais, e uma presença relevante de comunidades indígenas e tradicionais. Além dos objetivos acima mencionados, esperamos que outros efeitos colaterais desejáveis surjam deste processo de planejamento participativo, como a melhoria na capacidade dos moradores em grandes cidades do Brasil em lidar com efeitos regionais das mudanças climáticas, e também capacitação das economias locais para desenvolver estratégias oportunas de adaptação, uma vez que elas enfrentam crescentes compensações ambientais e sociais.
Visualizando o desenvolvimento de sólidas estratégias locais de adaptação à mudança climática como condição necessária para o sucesso de qualquer iniciativa de conservação da floresta na área, a Iniciativa Verde decidiu procurar recursos para desenvolver e implementar um processo participativo de planejamento a adaptação à mudança climática na região.

Promulgada em 2008, a política Federal brasileira para mudanças climáticas reconhece a necessidade de desenvolvimento dos “Planos de adaptação”, mas não oferece quaisquer orientações técnicas. Assim, a cronometragem e a natureza pioneira do projeto proposto também permite que ele aja como uma iniciativa piloto a adaptação às alterações climáticas, um domínio técnico que, apesar de extremamente relevante, ainda está em sua infância no Brasil. O Financiamento para o projeto chegou no final de 2011, quando Iniciativa Verde apresentou uma proposta de subsídio para a fundação HSBC e recebeu uma resposta positiva.

No início do projeto, o grupo de trabalho decidiu que um aplicativo Web, com um GIS (Sistema de Informação Geográfica) interativo do banco de dados, proporcionaria uma plataforma eficaz para a troca de informações e debate sobre as tendências climáticas relacionadas com as alterações, os riscos, trade-offs e prioridades; engajando a comunidade, cientistas e governo local.
Essa idéia, no entanto, representou um desafio técnico totalmente novo para a equipe Iniciativa Verde. A equipe do projeto percebeu a necessidade de alcançar e trazer conhecimentos adicionais relacionados ao planejamento de adaptação e ferramentas de GIS on-line para uma equipe já multidisciplinar.

Tal como idealizado pela Iniciativa Verde, o projeto só poderia materializar-se após a conclusão de três etapas iniciais: seções intensivas de treinamento para toda a equipe em como trabalhar com as ferramentas de GIS on-line (em curso), desenvolvimento de uma rede de parceria forte e diversificada (em curso), e construção de uma base de dados inicial de informação existente como ponto de partida (feito). O processo de aprendizagem de WebGIS começou com a ajuda voluntária de Ernesto Giron (CIAT-Colômbia) e uma “formação boot camp”, oferecida pela sociedade para conservação GIS (SCGIS), no centro de informação para o ambiente / U.C. Davis.
Os esforços da equipe inicial da rede rapidamente ganhou força, com o apoio de um grupo diverso de cientistas e especialistas, tais como: Jocemar Tomasino Mendonça (Instituto de Pesca do Estado de SP), Mario Nunes (Instituto Estadual de Florestas de SP), Célia de Gouveia Souza (SP Estado Instituto Geológico do Estado de SP), Professores Sueli Furlan e Paulo Sinisgalli (Universidade de São Paulo), e também dos órgãos ambientais municipais de Cananéia e Ilha Comprida, e o escritório regional da Agência de Conservação Federal (Instituto Chico Mendes – Iguape).

O conjunto de dados iniciais organizados pela Iniciativa Verde já inclui: dados vetoriais cartográficos (60 1:10.000 e 1:50:000 12 mapas oficiais topográficos), dados espaciais de 84 trabalhos científicos (ciências naturais e humanas), 200 fotos geo-referenciadas (tiradas do nível do solo, nível do mar e aéreas perspectivamente), um vídeo e dados de um projeto específico de mapeamento ambiental, e os modelos para a elevação do nível do mar, erosão costeira e variáveis de mudanças climáticas (IPCC e outros).

Usando este conjunto de dados como um ponto de partida, a base de dados GIS on-line é destinada a ajudar a geo-exploração para pessoas com pouca ou nenhuma base de geografia e também para apoiar a análise dos dados por um grupo aberto de especialistas. O conjunto de dados inicial foi desenvolvido e permanece desativado. Quando o banco de dados estiver totalmente implementado (previsto para Janeiro de 2013), o conjunto de dados será abertamente compartilhado com o público, não apenas para comentários, mas também para ser editado, corrigido e enriquecido por outros. Embora o recurso Iniciativa Verde on-line que está sendo construido funcionará principalmente como um Blog regular, o banco de dados GIS interativo poderá instigar, informar e apoiar diferentes níveis de discussão no âmbito do grande tema “Mudança Climática e Adaptação Regional” , funcionando como uma “pré-arena” fértil para os futuros fórums “reais”, em que as diretrizes para o Plano de Adaptação serão definidas.
Antes que o “GIS-Blog” seja lançado, há outras atividades “desactivadas” planejadas, tais como: desenvolver e aplicar programas básicos de formação em GIS/mapeamento em agências locais e com a comunidade, melhorando suas habilidades para explorar e compartilhar informações geográficas, para adicionar informações de herança para o conjunto de dados inicial, buscar apoio e envolvimento de mais lideranças locais, estudantes, cientistas e governos.

A Inicitativa Verde e o CiVi.net
O projeto CiVi.net contribuirá para a Iniciativa Verde GIS – Blog com informações sobre o estudo de caso do Marujá, como por exemplo na avaliação de serviços do ecossistema e organização da Comunidade do Marujá e também ajuda a equipe de projeto a manter contato com Comunidade do Marujá quando for necessária a troca de informações no planejamento participativo com comunidades de Lagamar. A Iniciativa Verde contribuirá para WP4 com informações como imagens de satélite, mapas do Vale da Ribeira e do Parque Estadual da Ilha do Cardoso e fotos aérias, e com a análise do mapeamento do desmatamento na região que for escolhida pelo WP4 para comparação com a região de desmatamento no Parque Estadual.