Processo de Transferncia comeou

Nosso projeto está evoluindo: já existe clareza em sobre a solução bem sucedida na região de estudo de caso (original) a ser replicada, bem como a indicação das potenciais regiões de transferência. Assim, começaram as atividades de preparação para o processo de transferência.
Na Marujá, por exemplo, um processo participativo foi desenvolvido envolvendo pessoas de diferentes idades da Comunidade. Na região de estudo de caso de Encostas da Serra Geral, dois seminarios de sensibilização e capacitação, foram realizados no município de Santa Rosa de Lima. Nossos parceiros nas regiões de estudo de caso já estão estabelecendo os contatos iniciais com as potenciais regiões de transferência. Por exemplo, a fundação Neotropica, nosso parceiro na Costa Rica, iniciou o processo de assinatura de um memorando de entendimento com as partes interessadas nas duas regiões de transferência, nomeadamente Puntarenas e Manzanillo. A expectativa é de que num futuro próximo os parceiros do projecto e os grupos locais das partes interessadas nas quarto regiões de estudo de caso vão começar discutindo as estratégias de transferência, incluindo seminaries de capacitação, treinamentos e viagens de campo entre as regiões de estudo de caso e as respectivas áreas de transferência. Mais informações referentes ao processo de transferência nas quarto regiões de estudo de caso disponíveis abaixo.

Marujá / Superagui

Em 26 de Abril de 2012, nossos parceiros da FUNDAG sugeriram à associação AMOMAR (Associação dos residentes de Marujá) a aplicação de um processo participativo que incorpora visões de diferentes pessoas da comunidade, incluindo crianças, adultos e idosos que vivem em Marujá. O líder da comunidade e vários membros da AMOMAR concordaram e de 10 a 12 de Maio, a equipe da FUNDAG assistiu a comunidade em adotar a abordagem sócio-técnica Multicritério para auxiliar o processo de tomada de decisão (MACBETH), para ajudá-los a desenvolver a sua visão do futuro.

Para isso, no primeiro dia, um grupo de 26 crianças e adolescentes identificaram seus principais valores e preocupações, o que também foi feito por 27 adultos e idosos no segundo dia. No último dia, os valores identificados para os dois grupos foram combinados. Um grupo de trabalho de 12 pessoas foi selecionado durante a reunião para avançar para as próximas etapas do processo. A idéia é que o mesmo processo tenha lugar na região de transferência no futuro próximo.

Marujá Communidade do Marujá desenvolvendo a metodologia MACBETH com o suporte da FUNDAGEncostas da Serra Geral

Durante Abril e Maio de 2012 a equipe de trabalho do estudo de caso de Santa Catarina desenvolveu dois workshops de sensibilização e capacitação sobre o sistema voisin silvopastoril com espécies nativas. O objetivo dos dois eventos foi discutir os desafios relacionados ao sistema silvopastoril com espécies nativas na região, bem como desenvolver atividades de capacitação sobre o tema. Tais atividades foram realizadas durante dois dias (em Abril e em Maio) no município de Santa Rosa de Lima, em diferentes propriedades rurais. Em cada um dos dias de trabalho, as atividades foram divididas em duas partes. Durante o período da manhã foram levantadas fraquezas, potencialidades e desafios para o uso e disseminação de espécies nativas para sombreamento do pasto, assim como para a provisão de produtos não madeireiros para a agricultura familiar. No período da tarde, foram desenvolvidas atividades práticas, onde os participantes tiveram a oportunidade de implementar núcleos de árvores em sistema silvopastoril em áreas com pastoreio voisin. Nos dois dias participaram mais de 30 pessoas das comunidades envolvidas. Além dos agricultores, os eventos também contaram com a presença de autoridades locais, da EPAGRI (Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina) e da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Os eventos foram realizados em parceria com o Projeto “Pagamento por Serviços Ecossistêmicos e Agroecologia”, desenvolvido a partir de uma cooperação entre a USC e o Instituto Gund, da Universidade de Vermonth-EUA.
Ilha do Bananal/Pium
Em Tocantins, o objetivo do estudo de caso é a transferência do conhecimento desenvolvido em projetos de compensação de carbono na indústria cerâmica para criação de gado. Durante os meses de Maio e Junho Ofra Bosma, assistente do projeto no Instituto Federal Suíço de Tecnologia (EHT), deslocou-se para um trabalho de campo em Tocantins para entrevistar fazendeiros e reuniu outras informações relevantes para projeto CiVi.net.
Juntamente com Eliana Pareja, representante do Instituto ecológica (IE) e o diretor de sustentabilidade no agronegócio Seagro, Corombert Leão, Ofra reuniu-se com o Secretário de agricultura, pecuária e Desenvolvimento Agrário do estado do Tocantins, Jaime Café. Durante a reunião, Ofra falou que esta pesquisando a possibilidade de aumentar a produção de gado, minimizando os impactos sobre o meio ambiente. Os participantes da reunião ficaram muito interessados uma vez que o governo brasileiro pretende desenvolver um projeto de créditos de carbono per capita através da aplicação de técnicas para melhoria da produção.
Mais informações disponiveis no nosso sitio

Térraba Sierpe e Golfo Dulce

Na regão de Térraba Sierpe e Golfo Dulce (nosso estudo de caso original), várias atividades tiveram lugar, , incluindo workshops de consulta e contato com a região de transferência no Golfo de Nicoya. Além disso, em Maio o projeto carbono azul (BCP) foi lançado em parceria entre NEO, Ford e Volkswagen (VW). BCP é um projeto de extensão corporativa que visa uma aliança entre as comunidades, sociedade civil e empresas privadas. Em Junho foi apresentada uma proposta para o programa de DNS (fundo de Costa Rica). O principal objetivo deste programa é permitir a sustentabilidade financeira dos esforços de conservação da comunidade do Pantanal no Litoral Pacífico. Recentemente, outro parceiro corporativo da NEO, uma empresa italiana denominada Davines, que produz produtos de base naturais para cuidados com os cabelos, aderiu ao programa.

Começa processo de transferência de experiências

Em Fevereiro de 2012, workshops de consulta foram realizados nas áreas de estudo de caso, um próxima ao Pantanal nacional Térraba Sierpe e outro no Golfo Dulce. Nestes workshops as comunidades identificaram as lições aprendidas e histórias de sucesso que eles tiveram nos processos participativos de conservação dos manguezais. Os membros destas comunidades estavam determinados a partilhar as lições aprendidas com as comunidades na área de transferência. Além disso, houve uma visita e troca de experiência com um grupo de pescadores na área de transferência. Este grupo reconheceu a importância da conservação dos manguezais e manifestou interesse em aprender a partir de experiências em Térraba Sierpe e Golfo Dulce, a fim de implementá-los em seu ambiente.

Avanços nas áreas de transferência

Em Junho de 2012, houve um tour de reconhecimento inicial dos manguezais na área de transferência com a organização local COLOPEZ (Comitê Local de Pescas de Manzanillo). Desta vez, nós visitamos os mangues Abangaritos. Os pescadores locais mostraram áreas de mangue degradadas que é importante se recuperar, a fim de melhorar o bem-estar da comunidade. Esta visita reafirmou o interesse da NEO e COLOPEZ em trabalhar juntamente na restauração do mangue no Golfo de Nicoya.

Por outro lado, tem havido algum trabalho próximo com o corredor biológico Pájaro Campana que promove a conectividade ecológica entre as áreas a montante e manguezais localizados a norte da cidade de Puntarenas. Este corredor biológico é organizado em comissões de trabalho, em que um deles se focaliza na questão da protecção do mangue. Tanto o Conselho Local do corredor biológico e a NEO estão buscando facilitar a troca de experiências na área de estudo para que eles possam aprender com a experiência vivida na restauração do mangue no Golfo Dulce.

Avanços na Área de Estudo

Em Julho foram inaugurados viveiros de mangue patrocinado pela Volkswagen e Ford. Participaram no evento de abertura dos viveiros a Associação dos Pescadores do Golfo Dulce (ASOPEZ), a escola pública de El Campo, as autoridades da Reserva Florestal do Golfo Dulce e a NEO. Estes viveiros estão localizados perto dos manguezais do rio Rincon na playa Colibri e Conte mais ao norte, ambas nos manguezais Golfo Dulce. Estes viveiros irão abrigar 4.200 mudas de mangue cada, que servirão para reflorestar um total de 8 hectares de manguezais, com uma densidade de 100 árvores por hectare. Haverá mais de 8.000 mudas nos viveiros e quatro espécies diferentes de manguezais: Laguncularia racemosa, Rhyzophora mangle, Rhyzophora racemosa e Pelliciera rhyzophorae.

Além disso, NEO e organização local do Coopemangle, começaram os trabalhos exploratórios para instalar o primeiro berçário para reflorestamento da Comunidade da região do Pantanal nacional Térraba Sierpe. Este processo faz parte da transferência de experiências entre as comunidades locais neste importante Pantanal e as comunidades do Golfo Dulce.

Instrumentos legais e recursos adicionais

Em Junho, o governo da República da Costa Rica anunciou a criação do Vice Ministério das águas e mares, responsável para governar a azul política o país, que inclui a área de estudos de caso de CiVi.net. Foi nomeado Vice Ministro o Sr. José Lino Chaves, ex-presidente do Tribunal Administrativo do ambiente. A criação deste vice Ministério é uma importante oportunidade para gerar uma maior consciência sobre o assunto e apoio político às iniciativas de transferência.

No mesmo mês, foi apresentada a proposta de programa de DNS (fundo para Costa Rica). O principal objetivo da proposta é obter fundos adicionais para o trabalho realizado nas regiões de estudo de caso e workshops de transferência e viagens de campo entre as comunidades nas áreas de mangue do Humedal Terraba Siere e o Golfo Dulce. Em Agosto, Neotropica assinou o memorando de entendimento (MDE) com as partes interessadas no Golfo Dulce (ASOPEZ) e há outros dois MDE em andamento com o COOPEMANGLE e o COLOPEZ.

Em 17 de Setembro, Bernardo Aguilar, Alexander Gonzalez e Karla Córdoba conheceram Etilma Morales, diretor da área de conservação de Osa (ACOSA) para definir aspectos técnicos e legais sobre o trabalho na area de estudo de caso, e sugestões para a gestão do processo de transferência. Esta reunião foi realizada na sede do sistema nacional de áreas de conservação (SINAC) em San Jose.